Projeto "Redação em foco"

Aluna: Maria Carolina Guimarães Santos
Professora Responsável: Patrícia Almeida
Turma: 9º Ano - 04 - Ensino Fundamental

Título: Uma luta comum

Há anos, vários países do mundo passam por graves problemas, fazendo com que muitos de seus residentes emigrem para outros lugares, como o Brasil. A viagem não é fácil e muito menos curta. Os motivos das fugas são vários, mas todos têm o mesmo objetivo: ir em busca de uma vida melhor.

Venezuelanos, bolivianos, haitianos, povos da Síria e Jordânia, fogem de crises, guerras (que na Síria, no ano de 2018, completaram sete anos), conflitos políticos, alta da inflação e da fome. Os principais destinos são os países da Europa e o Brasil.Este, o país que mais acolhe refugiados na América Latina. Eles atravessam muitas fronteiras. Alguns não sobrevivem no percurso, porém, os que conseguem, ainda têm que sofrer as consequências de tal ato.

Os nativos, muitas vezes, discriminam os emigrantes, julgando-os como causadores do aumento da criminalidade, do desemprego, da crise e do surgimento de doenças. Mas há aqueles que realmente ajudam, oferecem abrigo, comida, emprego, assistência médica e, principalmente, auxilio psicológico. Os relatos dos refugiados são traumáticos para quem escuta, imagine para quem sofreu na pele a experiência de uma vida medíocre.

Portanto, a sociedade deve ter mais compaixão e compreender a situação dos refugiados. Já os governantes, devem parar de tentar escondê-los, fazendo com que os emigrantes e os nativos, da mesma forma, se sintam confortáveis. E que outros países, como os Estados Unidos, parem de negar e comecem a ajudar nesta questão também. Não é possível acabar com os conflitos internos de um país, se ele mesmo não tentar, todavia, todos podem contribuir de alguma forma, ajudando quem precisa.